Cadeia de Suprimentos

Cadeia de Suprimentos Fluxo

Gestão da cadeia de suprimentos de negócios (em inglês) Supply chain management (SCM) é o gerenciamento de uma rede interligada de negócios envolvidos na provisão final de pacotes produto e serviço requeridos por clientes finais (Harland, 1996). A gestão da cadeia de suprimentos abrange todo o movimento e armazenamento de matéria prima, trabalho em processo de inventário, e produtos acabados do ponto de origem até o ponto de consumo (cadeia de suprimentos).

A gestão da cadeia logística, (do inglês: Supply Chain Management), também conhecida como gestão da cadeia de suprimentos no Brasil, gestão da cadeia de abastecimento em Portugal, pipeline logístico ou rede logística, consiste em todas as partes relacionadas seja direta ou indiretamente, na execução do pedido de um cliente. Ela inclui não apenas o fornecedor ou o fabricante, mas também as transportadoras, os armazéns, varejistas e os consumidores finais.

A palavra “Logística” tem origem da palavra francesa “Logistique” que significa “a arte de planejar”.

A cadeia de suprimentos em nosso ERP Técnico:

Cadeia de Suprimentos

Cadeia de Suprimentos

Cadeia de Suprimentos Fluxo

Cadeia de Suprimentos Fluxo

Assim, o termo Supply Chain Management, ou logística, está exagerado para representar uma compra de um material requisitado pela obra (RM), ao Departamento de Compra que, após cotar, emite um Pedido de Compra (PD) ao Fornecedor, que encaminha o insumo à obra, para armazenar e distribuir aos usuários. O processo todo tem mais similaridade com as compras mensais que uma Dona de Caso faz no mercadinho da esquina, anota o fiado em uma caderneta, armazena o perecível na geladeira e recolhe os demais em despensa livre de calor, poeira e umidade.

Destacamos alguns poucos itens significativos de nossa Cadeira de Suprimentos:

  1. Compras Técnicas, que envolvem cálculos ou tecnologia específica de transporte, descarga, armazenamento, ou documentação especial, como projetos, cronogramas, suporte, de discutível interpretação técnica, etc.
  2. Aquisições especiais, como de produtos da própria fábrica em estados diferentes e baldeação da mercadoria para outro meio de transporte. Equipamentos ou mercadorias transportados por centopéias, etc.
  3. Implantação de estoque mínimo no almoxarifado com requisição automatizada pelo almoxarife.

NOTA: estaremos colocando à apreciação dos internautas, para votação, qual dos processos de Logística é o mais indicado em nossas obras.

Entendendo o Estoque Mínimo como uma ferramenta de altíssima eficiência e que requer um mínimo esforço. Como colocaremos ambos os processos para votação, sugerimos um esforço de imaginação antes de votar em um sistema completo e complexo, sabendo-se que na atualidade a mais simples das providências, quase não é praticada.

Ferramentas da logística

Como ferramental, a logística utiliza (entre outros):

  • O WMS, Warehouse Management System, em português – literalmente: sistema de automação e gerenciamento de depósitos, armazéns e linhas de produção. O WMS é uma parte importante da cadeia de suprimentos (ou supply chain) e fornece a rotação dirigida de estoques, diretivas inteligentes de picking, consolidação automática e cross-docking para maximizar o uso do valioso espaço do armazém.
  • O TMS, Transportation Management System, que é um software para melhoria da qualidade e produtividade de todo o processo de distribuição. Este sistema permite controlar toda a operação e gestão de transportes de forma integrada. O sistema é desenvolvido em módulos que podem ser adquiridos pelo cliente, consoante as suas necessidades (Gasnier et al., 2001).
  • O ERP, Enterprise Resource Planning ou SIGE (Sistemas Integrados de Gestão Empresarial, no Brasil) são sistemas de informação que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema. A integração pode ser vista sob a perspectiva funcional (sistemas de: finanças, contabilidade, recursos humanos, fabricação, marketing, vendas, compras, etc) e sob a perspectiva sistémica (sistema de processamento de transações, sistemas de informações gerenciais, sistemas de apoio a decisão, etc).
  • O MRP, Material Requirement Planning (planeamento (português europeu) ou planejamento (português brasileiro) das necessidades de materiais, PNR).– Planejamento dos Recursos da Manufatura) é a evolução natural da lógica do sistema MRP, com a extensão do conceito de cálculo das necessidades ao planejamento dos demais recursos de manufatura e não mais apenas dos recursos materiais.
  • O dia 6 de junho é considerado o dia da Logística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *